Entrevista da Kristen para o ShowbizAndStyle

Talvez finalmente Kristen Stewart está se acostumando com a atenção da mídia. Em nossa conversa recente, a estrela das séries ‘Crepúsculo’ ainda estava tímida mas ela pareceu mais a vontade com as perguntas. Kristen deu respostas bem pensadas, às vezes se corrigindo. Ela continuava séria, mas isso é natural dela. E ela parecia melhor do que no último encontro, se vestindo lindamente, com um sexy mini vestido e saltos altos.

A atriz parecia bem animada por estar no elenco de “On the Road,” o filme do diretor brasileiro Walter Salles da adaptação de Jack Kerouac da história de 1957 sobre uma geração e foi listado na Time magazine como uma das melhores 100 histórias de 1923 a 2005.
Kristen interpreta Marylou, esposa de Dean Moriarty (interpretado por Garrett Hedlund), o catalisador dos acontecimentos é a autobiografia de Kerouac sobre a era do jazz, poesia e alcóol e drogas. Ela está animada para trabalhar com Salles, que tem crédito por “The Motorcycle Diaries” e “Central Station.”
Ela também está otimista com a notícia de Bill Condon (“Dreamgirls,” “Gods and Monsters”) dirigir ‘Amanhecer’ , o quarto e último livro das séries de sucesso de Stephenie Meyer (que será dividido em 2 partes) e sua personagem, Bella Swan, amadurecer na história.
É claro, ela falou sobre ‘os garotos’, Robert Pattinson e Taylor Lautner, sobre o beijar o úlltimo pela primeira vez em Eclipse, o terceiro filme da franquia. A seguir são trechos da nossa entrevista:
Nos conte sobre o filme que você está prestes a fazer.
“É ‘On the Road’ baseado na história de Jack Kerouac que foi meu livro favorito na adolescência. É insano que eu esteja interpretando a mulher de Dean Moriarty. Ela é um personagem ícone assim como ele.”
Como você se relaciona com essa geração despreocupada, esse estilo de vida?
“Isso não tem nada a ver com rebeldade na verdade. As pessoas que viveram esse estilo de vida são tipicamente homens. Era muito mais fácil e aceitável para eles fazerem isso. Minha personagem é diferente e estranha por querer viver como ela vive. Mas no nível básico, na história de respirar o jazz… Nenhuma história me pareceu tão livre. Também é legal ler sobre isso porque nos leva ao tempo em que a conformidade era a única opção. Ter encorajado um livro sobre esse período é legal e interessante, e tão longe de qualquer coisa que eu já tive que lidar. É excitante.”
Você pode falar sobre Walter Salles?
“Walter me descobriu em um encontro que tivemos. Nos sentamos e almoçamos há muito tempo atrás. Foi logo depois que eu fiz ‘Crepúsculo’. Demorou muito tempo para eles colocarem ‘On the Road’ em funcionamento. Conversei com Walter recentemente de novo. Ele estava muito animado com a fé de todo mundo no projeto. Ele é um ótimo diretor de filmes independentes. Para um ator, esse papel é tão cobiçado. Foi engraçado quando ele me chamou. Ele estava como, “Muito obrigado. Aprecio sua fé e seu compromisso nesse projeto.” E eu estava como, “Você está brincando? estou vibrando – estou muito animada.” Não consigo parar de falar com as pessoas sobre o projeto.”
Como seu relacionamento com Robert mudou ao longo dos filmes?
“Considerando que eu fiz todos esses filmes com Rob, ele se tornou um ótimo amigo meu. Eu me preocupo imensamente com Taylor e Rob porque estamos em uma situação similar. Nós crescemos juntos e muito perto. Podemos ser honestos. Não temos medo de nos ofender…”
Como vocês três fazem para clarear a situação, já que estão sempre sendo seguidos por paparazzi?
“É engraçado quando eles caem um sobre os outros porque eles estão correndo atrás de uma foto. Então toda vez que você me ver feliz em uma foto de paparazzi, provavelmente é porque estou rindo deles. Os garotos nem ligam porque é engraçado. Mas não gostamos muito porque dá as pessoas coisas para elas falarem e esse é todo o motivo de evitarmos eles.”
É mais fácil quando vocês três estão juntos?
“É bom porque você se sente intocável, diferente quando você está sozinho. – “Oh meu Deus, meus ossos estão limpos agora (risadas)” Mas quando estou com os caras é mais fácil. É legal ter outras duas pessoas que estão na mesma situação. Você pode dizer as outras pessoas, “Oh, estou realmente nervosa sobre isso. Será uma grande coisa.” Mas com os garotos é como ser livre. Eles dizem, “Isso é animador, mesmo assim. Você não está animada? Vai ser demais!” Os garotos são como boa sorte. Eles sabem exatamente pelo o que você vai passar. É bom ter eles.”
Quais são seus pensamentos sobre casamento?
“Eu não penso sobre isso. Acho que sou totalmente diferente porque existem algumas garotas planejando seus casamentos e que mal podem esperar para casar. Eu só não tenho isso. Tenho uma ótima família. Quero minha própria família, também, mas não sei quando vou casar.”
Qual foi a cena mais difícil de filmar em Eclipse?
“A cena mais difícil acontece na montanha antes da luta começar. Bella beija Jake e eu estava muito estranha sobre isso porque para interpretar isso você tem que justificar isso. A maneira que eu estava interpretando Bella, não existia uma maneira justificável para ela fazer isso. Foi assustador fazer porque eu não sabia como fazer de uma maneira em que o beijo fosse natural. Nunca entendi isso, como se na minha cabeça eu não pudesse trair Edward. Isso é o mais legal da cena – que toda a história me surpreendeu. Ela tenta isso e está errada. É absolutamente indesejável e um bom caminho. Ele definitivamente é bom para ela e demorou para acontecer o beijo e ela perceber isso. Então cinco minutos depois ela tem que falar com Edward sobre isso porque ele estava literalmente escutando e vendo isso. É realmente adulto, e assustador, nada legal de lidar porque não é perfeito como ela imaginou.Ela realmente tem sentimentos por mais de uma pessoa. Ela deixa a fantasia de como seu amor por Edward é bom e entra na vida real. É um momento triste mas é o que é.”
Qual foi a parte mais engraçada?
“Não tive que fazer nenhuma acrobacia. Sempre fui invejosa por toda a ação que todo mundo tem que fazer. Foi legal fazer a cena tensa da camiseta (Jake) e você sabe, a pessoa pensativa (Edward). Eu não podia saber o que eles estavam falando mas deveria filtrar um pouco. Eu estava como, se eu ouvir alguma coisa, era como acordar – “Do que vocês estão falando?” Então foi engraçado ouvir nesse nível.”
O que você espera de ‘Amanhecer’? Você se sente mais madura?
“Vamos começar em novembro. Bella se torna uma esposa e uma mãe. Se ‘Amanhecer’ fosse o próprio filme, seria muito mais difícil interpretar uma mãe e esposa tão jovem. Mas porque tenho sido Bella desde os 17 anos, será uma progressão. O que é legal para mim nas séries é que, demora muito tempo para chegar a esse ponto e ela perdemuito. Então ela volta. Ela faz decisões onde você tem que se conhecer e confiar em si muito bem. Ela alcança isso. Ela é muito corajosa e sincera sobre tudo. Também estou animada, porque com sorte, conheço os garotos muito bem. Nós pegamos a jornada. Vai ser estranho porque me sinto tão jovem mas acho que Bella foi escrita tão completa. Ela é umajovem matriarca. Ela claramente cresce nessa posição. Todas as dicas estão lá. Acho que vai ser legal quando ela engravidar e ter a criança. Essa é a coisa que faz ela perceber, “Agora, sou adulta.” Quando as pessoas casam, elas não estão necessariamente mudadas. Mas ter uma criança vai mudar definitivamente Bella. Tudo isso vai ser interessante e louco de interpretar.”
O que você pensa de Bill Condon dirigir esses dois filmes de ‘Amanhecer’?
“Acabei de conhecer Bill. Tenho um bom pressentimento sobre ele. Ele é um fantástico escritor e fez ótimos filmes. A maneira como ele pegou ‘Amanhecer’ é muito inspiradora e contagiante. Estou animada. Mal posso esperar para começar. Bill estava falando em trazer a história para a narrativa em primeira pessoa, como em ‘Lua Nova’ e menos como em ‘Eclipse’. Mais ‘Crepúsculo’. Os livros são a história de Bella. Temos que explorar a história o máximo possível. Vai ter muito mais nuance. Estou tão agradecida que são dois filmes agora porque não vamos perder muitos detalhes como no passado. Bill vai estar no topo de tudo o que é incrível. Ele realmente ama os personagem e a história.”
Há muita conversa – e desejos – que você interprete a adaptação de “The Girl With the Dragon Tattoo.”
“Ainda não li o livro mas todos dizem que devo ler. Acho que vou estar trabalhando durante as filmagens desse filme. Vou estar trabalhando pelos próximos 6 meses. Tenho “On the Road” e depois as duas partes de ‘Amanhecer’… Então ao menos que eles adiem… Mas eles ainda não fizeram contato comigo.”
É verdade que você vai estar em uma peça?
“Eu adoraria, mas não é verdade. Nunca tive essa experiência. Tem outras coisas que eu quero fazer como meus próprios filmes. Adoraria escrever e fazer outras coisas, caridade. Mas agora, quero me focar completamente em ser atriz. Quando eu era mais jovem, sempre estava falando, “Vou fazer outras coisas. Vou a faculdade. Vou fazer isso.” Mas não, sou uma atriz. É isso que eu amo fazer.”
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: