Tyson Houseman comenta sobre Quil…

A maioria dos atores trabalha duro desde cedo em suas carreiras, pegando um trabalho depois do outro, desesperadamente, esperando que chegue a sua vez. Mas não para Tyson Houseman, quem, em sua primeira audição conseguiu o papel de Quil Ateara, um dos melhores amigos de Jacob Black em “The Twilight Saga: New Moon”.

Ele agora está estrelando a próxima sequência, “Eclipse,” que estréia em Junho, e Houseman está no topo do mundo. Ele tirou um momento para se sentar com o The Film Yap para discutir sobre seu papel, como Nativo Americanos são retratados, e sobre como é conhecer pessoas que acham que você é um lobisomem.

The Yap: Oi Tyson, como vai?

Tyson Houseman: Bem. Você você está?

TY: Ótimo, obrigado. Então, como você se conectou com o fenômeno “Twilight”?

TH: Bem, “New Moon” foi o primeiro filme que eu fiz, e foi a primeira audição que eu fui na vida. Eu me lembro que quando consegui o papel, eu estava procurando na internet por um trabalho na Craigslist, e eu encontrei esse trabalho que dizia que estavam abrindo a chamada de elenco, e nem mesmo dizia que era pra “Twilight,” apenas dizia que era para “um grande filme,” para um Nativo Americano, entre 15 e 25 anos. Eu pensei, “Eu me encaixo na descrição, então vou ver do que se trata.” Então eu fui lá, e foi então que eu percebi que era pra “Twilight,” porque havia uma fila para a chamada de elenco de uns 4 ou 5 quarteirões, e estava cheio de fãs de “Twilight” com os livros, camisetas e tudo mais, e eu pensei, “é, provavelmente esse é um dos filmes de ‘Twilight’” Eu não esperava muito conseguir qualquer coisa com isso, mas eu fui e fiquei na audição o dia todo, e havia só uns 5 de nós lá, e eles me filmaram no fim do dia fazendo uma cena. A outra semana eles me chamaram de volta, e eu fui e fiz de novo, e uma semana depois, eles me chamaram dizendo que eu consegui o papel.

TY: Então você deixou uns 1.000 para trás. Uma grande vitória. Você já fez algo de teatro, certo?

TH: Ah, sim. Foram mais ou menos só peças de escola e essas coisas, entretanto.

TY: Uau, então eles simplesmente te pescaram do nada. Você teve alguma dificuldade em em se ajustar à fama repentina? Você não está fazendo exatamente um filme independente para comer, você está pulando direto nessa franquia.

TH: Não muito. Foi meio que muito para lidar, de início. Você está certo, é um grande fenômeno, e foi difícil para mim, lidar com isso. Eu só tive que falar para mim mesmo, é, isso é uma loucura, mas eu ainda sou a mesma pessoa que era há um ano atrás. Eu ainda sou o Tyson, e não é como se isso fosse mudar minha personalidade de alguma forma. Eu vou continuar verdadeiro à mim mesmo e me manter no chão. Mas além disso, tem sido ótimo, conhecer tantas pessoas legais. Todos os fãs são ótimos, e tão apaixonados por isso.

TY: Você já teve algumas experiências doidas? Multidões de garotas, ou pessoas te abordando em horas estranhas?

TH: Na verdade, houve essa vez, não foi muito uma experiência doida, nem nada, mas havia essa mulher, e ela parecia ter uns 70, 80 anos, e ela veio até mim e disse: “Você é o Quil Ateara de New Moon?” Foi muito engraçado. Você espera que garotas de 13 anos sejam fãs, mas isso ultrapassa as idades.

TY: Uma coisa que eu queria perguntar rapidinho: Sendo um Nativo Americano, como você sente que a série “Twilight” retrata os Nativo Americanos? Parece apropriado e respeitoso?

TH: Eu não sei. Eu gosto da forma como é retratado. É retratado fielmente, e é muito respeitoso. Eu gosto de toda a idéia de que eles seguem as tradições e as histórias, e as idéias de como chegaram os lobos. É muito legal como isso é apresentado. Mas apenas o estilo de vida no geral, nos filmes e nos livros, é fiel, e eu fiquei muito orgulhoso de ser parte disso.

The Yap: Falando sobre seu personagem em particular, você lentamente construiu ele se tornando uma presença regular. Pode nos contar sobre como isso te ajudou?

TH: É. Há muitas similaridades entre o que está acontecendo comigo e com o personagem. Eu só tive um dia de gravações em “New Moon,” mas eu ainda era amigo dos outros caras do Wolfpack porque nós malhávamos juntos. Então era muito legal. O personagem em si, ele era o último a se tornar lobo, então ele sempre se sentiu meio que, deixado de fora. Eles não falavam tanto com ele. Mas quando ele se torna lobo, ele fica contente de ter seus amigos de volta. Para mim, eu estava ouvindo sobre as histórias em “New Moon,” todos os momentos engraçados que eles tiveram, e eu meio que me senti deixado de fora. Então foi muito legal em “Eclipse,” quando eu sou um lobo, eu posso sair com os caras de novo. Eu me senti muito similar ao personagem.

TY: Ótimo. O seu personagem é um dos melhores amigos de Jacob Black, então eu imagino que você passou muito tempo com Taylor Lautner, e agora ele é… Eu não quero dizer ‘ídolo adolescente.’ Meu primeiro pensamento foi ‘símbolo sexual,’ mas também não quero falar isso.

TH: {risos}

TY: {risos} Mas, de qualquer forma, é algo que aconteceu com todo mundo, ou mais com ele?

TH: Sendo um cara mais musculoso com o abdômen, eu acho que afetou mais ele do que o resto de nós, mas ainda tem um pouco disso para todos nós. Eu sinto algumas vezes que eu me tornei um símbolo. Há muito o que vir para mim, e eles não vão me ver como eu sou. Eles vão pensar que meu nome é Quil, que eu sou o personagem, e algumas garotinhas já gritaram para mim porque pensaram que eu era um lobo, ou algo do tipo. É estranho mas, eu penso sobre isso, que você é meio que um símbolo refletindo o personagem. Mas ainda é muito legal. É para os fãs, o que é legal.

TY: Há algo mais cercando o seu personagem e o do Jacob para mais tarde, que é toda a coisa dos dois sofrendo ‘imprinting’ em crianças. Não é estranho ou arrepiante como isso pareceu. Como você vê eles encarando isso com o progresso da série?

TH: Eu acho que eles lidam muito bem com isso. Há muitas formas em que isso poderia ser visto como assustador, e isso poderia ser mal interpretado. Eu ouço piadas sobre isso o tempo todo, sobre como eu amo criancinhas e coisas desse tipo. Mas a forma como é explicado nos livros é muito bem escrita, e eles traduziram isso muito bem para o filme também. A coisa toda do ‘imprinting,’ dá pra você ter uma boa idéia do que significa, e como está tudo bem que seja uma criancinha, quando você vê o filme. É realmente excelente.

TY: Qual é a melhor parte de estar envolvido nessa franquia?

TH: A melhor parte é que eu me divirto muito. Todo mundo é muito amigável e legal. Eu e o resto dos lobos somos bons amigos, então é legal ir à essas convenções juntos, e nos vermos o tempo todo, e nós temos que malhar juntos, e em outros filmes trabalharíamos com o ator, e depois não o veríamos de novo. Mas eu vejo os outros atores de “Twilight” em convenções e coisas desse tipo, quase todo mês. É muito legal.

TY: E a pior coisa, então?

TH: A pior coisa?

TY: A coisa mais difícil, se você prefere assim.

TH: Bem, eu acho que com o número de pessoas que te reconhecem agora, é meio difícil ir ao supermercado e coisas desse tipo.

Uma resposta

  1. É o preço da fama………..rsrsrsrsr

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: